segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016



Terno de Grupo

De cabo a rabo
cercado e eletrificado
um duque de dezena invertido
em janeiro ou dezembro
garantido na incerteza de uma milhar
girando no vermelho e preto
da roleta russa
que quase sempre dispara...


Ricardo Villa Verde & Gordack

terça-feira, 5 de janeiro de 2016


Tua Roça


Olha meu bem
que bom seria
se todos que 
se dizem poetas
amassem poesia

E despidos desse véu
Não encarassem
o inferno
toda vez que lembrassem
do céu

Sorririam até com a verborragia
que escorre dos punhos alheios
fazendo assim mais serenos
todos os seus anseios

Transformariam brumas
acácias, manacás e o escambau
e veriam o amor
até num pedaço de pau...


Ricardo Villa Verde






domingo, 29 de novembro de 2015


Ouro sobre Azul


Oxumirã é Paulo da Portela

Recebido com honras

Em outro plano astral

"Na chegada... se a porta

estiver fechada

Eu sou malandro

e me arrisco na Janela"


Há muito tempo atrás

num tempo não distante

Cansei de ficar atrás

Sou um maluco navegante


Singrando mares

com cheiro de erva molhada

louvo a paz e amor

pro meu povo nessa estrada


E a missão dessa nova geração

é dar as costas

pro que foi instituído


Com essa nova consciência

fé em Deus e paciência

farão nosso amor retornar


Vamos lutar bravamente

como Antôno Conselheiro

que quis ser livre e brasileiro

e num ato destrura

fez o Império se calar.


Ricardo Villa Verde

sexta-feira, 8 de agosto de 2014


PELA ORDEM DOS MALDITOS

Pela ordem dos malditos
Dos amaldiçoados
Queima o fogo forte
Pela escuridão

Pela ordem dos malditos
Dos amaldiçoados
Dançam os corpos livres
Da escravidão

Pela noite eterna
Pelo fogo forte
Não temer nenhum poder
É viver sem morte!


Gutemberg F. Loki.

sexta-feira, 1 de agosto de 2014


MONSTRO HUMANO

Ninguém sabe dizer
Do que o homem é capaz
Quando o ódio em seu coração
Frio ele traz

Matou com a amante
O filho pequeno
Antes já matara
A mulher com veneno

Como alguém pode justificar
Tamanha maldade?
Como é possível explicar
A crueldade?

Homem insano, monstro humano
Homem insano, monstro humano

Ninguém sabe o que passa
Na cabeça dos outros
O silêncio esconde os planos
Dos loucos

Invadiu a escola
Onde desde cedo estudou
Antes de morrer baleado
Muita criança matou

Como alguém pode justificar
Tamanha maldade?
Como é possível explicar
A crueldade?

Homem insano, monstro humano
Homem insano, monstro humano

Ninguém sabe até onde pode chegar
Movido pela bruta ganância
Toda razão desaparece
Fica só a distância

Friamente matou os pais
Que criaram ela com amor verdadeiro
A desgraçada só pensava
Em meter a mão no dinheiro

Como alguém pode justificar
Tamanha maldade?
Como é possível explicar
A crueldade?

Homem insano, monstro humano
Homem insano, monstro humano!!!


Gutemberg F. Loki.

quarta-feira, 30 de julho de 2014


PALESTINA

Como posso fechar os olhos
Para dormir
Se na Palestina a guerra não cansa
De destruir?

Vejam os mortos
Homens, mulheres e crianças,
A guerra não destrói só vidas
Mas também esperanças

Palestina, Palestina
Terra marcada pela dor
Palestina, Palestina
A guerra só traz o horror

O horror, o horror...

Como pode Israel fazer
O que faz?
Nenhum genocídio é melhor
Do que a paz

Vejam os mortos
Homens, mulheres e crianças,
A guerra não destrói só vidas
Mas também esperanças

Palestina, Palestina
Terra marcada pela dor
Palestina, Palestina
A guerra só traz o horror

O horror, o horror...


Gutemberg F. Loki.

sábado, 19 de julho de 2014


HEY JOHNNY

 Hey Johnny
Você atravessou a ponte
Foi incendiar o céu
Eu sei, chegou sua hora
O adeus sempre é cruel

Hey Johnny
Você sempre fez o seu melhor
Agora é um corpo de luz
Espírito tão bonito
Ilumina com seu Blues

Hey Johnny
Você botou fogo
Nesta terra selvagem
Agora segue em paz
A sua viagem

Hey Johnny
Jamais vou esquecer a sua guitarra
Mágica e feroz
Ela cuidou muito bem do coração
De todos nós

Hey Johnny
Um dia atravesso a ponte
Para ver o seu novo show
Lá na eternidade com os deuses
Do Blues & do Rock and Roll!!!


Gutemberg F. Loki.

sexta-feira, 2 de maio de 2014


REVOLUCIONÁRIOS DA PAZ

Eu acredito muito mais
Nos revolucionários da paz
Aqueles que mudam o mundo
Com palavras e não com armas
Porque palavras não derramam lágrimas
Palavras de amor, esperança e vida
Não causam dor
E curam qualquer ferida

Eu acredito muito mais
Nos revolucionários da paz
Aqueles que com sabedoria
Pregam o despertar da consciência
Porque eles sabem que os sonhos
Não se realizam com ódio e violência

O amor é o grande ensinamento
Para quem deseja evoluir
Quem destrói apenas destrói
Porque não sabe construir

A sua vida é um sonho
Maior do que você pensa ser capaz
Como John Lennon já dizia:
Dê uma chance à paz!


Gutemberg F. Loki.



terça-feira, 15 de abril de 2014



15 MINUTOS (ou O ÚLTIMO HERÓI FORA DE MODA)

O Papa da Pop Art com sabedoria
Falou certo dia
Que no futuro 15 minutos de fama
Todo mundo teria

E o mundo foi girando
E se transformou de verdade
Neste enorme liquidificador
De futilidade

E na democracia do vazio
Qualquer imbecil brilha e vira celebridade
Uma fama instantânea que se apaga
Daqui para a eternidade

Eu sou o último herói
Eu sou o último herói fora de moda
Meu futuro é a lembrança do passado
Que me assusta e incomoda

Eu sou o último herói
Eu sou o último herói fora de moda
No escuro rola a dança do atropelado
O preço que a vida custa é foda!!!!


Gutemberg F. Loki.

segunda-feira, 14 de abril de 2014


UM MERDA

Um merda é um merda
Boiando dentro e fora do vaso
Um merda é um merda
Na miopia do seu perfil raso

Um merda é um merda
Medíocre em sua vidinha conveniente
Um merda é um merda
Não sabe da riqueza de ser diferente

Um merda é um merda
Vivendo na fanfarra da sua ignorância
Um merda é um merda
E disso a gente sabe à distância

Um merda é um merda
Que exige, mas não sabe dar respeito
Um merda é um merda
Que defeca preconceito

Um merda é um merda
Que não vê a profundidade do oceano
Um merda é um merda
Que faz da vida um engano

Um merda é um merda
E se acha melhor no que faz
E no que diz
Um merda é um merda
E julga os outros pelo modo
De ser feliz

Um merda é um merda
E acredita que só dinheiro é felicidade
Um merda é um merda
E nunca viveu de verdade

Um merda é um merda
E todo merda é um merda qualquer
Seja branco, negro, amarelo,
Homem ou mulher

Um merda é um merda
Porque é pequeno em tudo que pensa
Um merda é um merda
E não vê que todo ser faz a diferença!


Gutemberg F. Loki.

quarta-feira, 9 de abril de 2014


ÀS VEZES É PRECISO SER PUNK

Às vezes é preciso ser punk
E mandar
Um foda-se, destroy!
Senão vem
Um sentimento
Obsessivo depressivo
Que a tudo
Corrói

Às vezes é preciso ser punk
E cuspir
Na confortável estrutura
Senão vem
Um sentimento
Obsessivo depressivo
Carregado
De loucura

Às vezes é preciso ser
Punk pra caralho
Senão você vê
A sua vida toda em frangalho

E nessa hora você foge até da sua sombra
Feito um burguês covarde
Às vezes é preciso explodir a bomba
E gritar por liberdade!


Gutemberg F. Loki.

quarta-feira, 9 de outubro de 2013


BLOOD ROCKER

My heart is pure energy
I have fire in my eyes
My fist is hard like a stone
I burn the skies

I’m rebel, rebel like a demon
I’m young, young like a dream
I’m wild, wild like a lover
Because my blood is rocker

My mind is a solid universe
I have the spirit of fight
My power makes me free
I live in the night

I’m rebel, rebel like a demon
I’m young, young like a dream
I’m wild, wild like a lover
Because my blood is rocker!


Tubarão.

quarta-feira, 4 de setembro de 2013


ERA DOS DESENCONTROS (NAUFRÁGIO)

Mas que Era mais estranha
Onde se perde mais
Do que se ganha
O mundo gira
E nós ficamos tontos
Nessa Era de vazios
E desencontros
E no transe desta terra
Que nunca desperta
Por mais que se conecta
Menos a gente acerta
E nunca detecta
Que no grande varejão de informações
Sobram arquivos
E faltam corações
Tudo aqui anda muito rápido
E distante
E tudo é muito frio
E vacilante
Tudo se perde em apenas
Um instante
Somos derivados à deriva
Navegando neste rio
Compulsivo e ágil
Onde tudo termina
Nesta sina
De naufrágio.


Tubarão.

segunda-feira, 2 de setembro de 2013


TATTOO É ARTE

Meu corpo pode ser
Como uma tela pra pintar
Me tatuando por prazer
Escolho o desenho que gostar

Eu sei que existe o preconceito
Das mentes atrasadas
Que dizem que tattoo não é direito
E que não leva a nada

Pode ser que ninguém seja perfeito
Mas a arte é sempre criticada
Condenam a tatuagem e não explicam o por quê
Filhas da puta, vão se fuder

Porque se Picasso, Da Vinci
Ou Salvador Dali
Um tattoo tivessem feito
Aí, com certeza, não haveria tanto preconceito

O corpo é meu
A vida é minha
Tattoo é arte
Se eu quiser
Me tatuo
Em toda parte!

Tubarão.

OBS: Este poema, na verdade era uma letra da banda LEPTOSPNOISE, que eu tinha com Ricardo Villa Verde, André Belfi, Henrique e Márcio Rex, entre 1996 e 1997.

Aqui vai o link do LEPTOSPNOISE com as músicas das duas demo tapes que estão disponíveis no Myspace:

https://myspace.com/leptospnoise/music/songs

 POETAPHOBIA

Eu tenho medo de poetas
Porque a maioria dos poetas
Tornam a poesia chata
E espantam pessoas
Com a sua pretensão
Barata

Eu tenho medo de poetas
Porque alguns poetas
Pensam que vivem
No século dezenove
E se perdem em uma linguagem
Que não me comove

Pobres poetas que pensam
Ser poetas
Eles não conseguem ver
E não conseguem entender
Que poesia é alma e verdade
Poesia é o reflexo da realidade
É o sangue e a paixão
Da atualidade

Por isso, eu tenho medo de poetas
Fujo de poetas
E fujo de qualquer tipo
De envolvimento
Eu entendo que poesia e vida
Unem-se em constante
Movimento!


Tubarão.

segunda-feira, 26 de agosto de 2013


AMIGO

Amigo, a tua lábia
É de serpente
A felicidade alheia
Não te faz contente

Amigo, o teu coração
É cheio de veneno
A inveja ilumina o seu mundo
Bem pequeno

Amigo, se por você
Eu botasse a mão no fogo
Me queimaria e seria
Mais um infeliz no jogo

Amigo, você vacila
E não dá importância
Quem caga e não limpa
Quero distância

Amigo, você não é amigo
Nem de mim, nem de ninguém
Quem vive longe de você
Vive muito bem

Amigo, nesta vida
Nada mais tenho para te dizer
Porque um amigo como você
Eu nunca fiz questão de ter!


Tubarão.